(Opinião) Proposta Indecente de Patricia Cabot

prposta

Sinopse

Uma aventura apaixonada nas Baamas.

Aventureira, franca, Payton Dixon tem dois sonhos na vida: possuir um veleiro e obter o amor do capitão Connor Drake. Mas ambos parecem fora do seu alcance, uma vez que seu o amado capitão está prestes a casar com outra, e pior, o traidor do pai de Payton ofereceu-lhe o barco dela como prenda de casamento.

Decidida a provar que está certa, Payton consegue desencadear um escândalo e causar todos os tipos de problemas. Quanto a Drake, não é capaz de decidir se quer estrangular a rapariga com quem cresceu, ou fazer amor com a bela mulher em que ela se transformou.

Tendo crescido com os irmãos a bordo de navios pertencentes a seu pai, Payton Dixon teve pouca oportunidade de aprender boas maneiras. Aos dezanove anos, pragueja como um soldado, sabe manobrar as velas e sente-se mais confortável no meio de uma luta com piratas em Havana do que num jantar em Londres. Detesta a etiqueta. O seu maior desejo é receber o comando de um barco no seu aniversário. E que o capitão Connor Drake renuncie casar com Miss Whitby! Payton não seria capaz de dizer porquê – nem quando – lhe surgiu aquela fraqueza, mas o resultado é óbvio: ama aquele homem. Infelizmente, ele vai casar com outra… Não, isso é impossível. Há que evitá-lo!

Quinta Essência

Opinião

Patricia/Meg Cabot é uma das autoras que eu adoro e qualquer livro que seja lançado dela eu automaticamente compro, no entanto não quer dizer que todos os livros dela sejam bons. Este era o último livro que me faltava ler da autora em português e como a Catarina do canal Páginas Encadernadas estava a realizar o projeto RIP (romance in pink) decidimos ler este livro em conjunto.

A única experiência que alguma vez tive com romances históricos foi com esta autora por isso não consigo comprar este livro com o de outras autoras. Tenham isso em conta quando lerem esta opinião.

Desde o início da história que não senti grande ligação com as personagens. Payton provavelmente foi a personagem que mais gostei devido a sua atitude feminista apesar de ter muitas atitudes que são demasiado infantis, mas tenho que relembrar que ela também só tem 19 anos.

Os irmãos de Payton a única coisa que fazem durante o livro é mandas piadas à irmã, discutir uns com os outros e beber álcool. As discussões entre os irmãos foram um grande entretenimento porém chegou a um ponto que se tornaram repetitivas.

O Drake, o interesse amoroso de Payton, foi a personagem que menos gostei do livro. Apesar da idade que tem (30 anos) consegue ser por vezes ainda mais criança do que os irmãos de Payton e acha que é um homem que respeita e honra as mulheres mas não é o que realmente acontece.

O romance entre Payton e Drake não nasce de uma forma natural, é forçado e muitas vezes parece não haver ligação entre os dois para além da física.

O ponto mais positivo do livro foi o contexto histórico e o ambiente que a autora criou fazendo com que o leitor pense que esta realmente na época e no lugar.

Caso queiram um livro leve, rápido e de leitura fácil então é para vocês.

Eu não pretendo reler este livro mas também não é o pior livro da autora.

Recomendo-vos a ir ver a opinião da Catarina!

Pontuação

2

Goodreads: 3.79

Até ao próximo capítulo,

Catarina

Advertisements

(Opinião) O Teorema Katherine de John Green

John Green

Sinopse

Dezanove foram as vezes que Colin se apaixonou.

Das dezanove vezes a rapariga chamava-se Katherine.

Não Katie ou Kat, Kittie ou Cathy, e especialmente não Catherine, mas KATHERINE.

E das dezanove vezes, levou com os pés.

Desde que tinha idade suficiente para se sentir atraído por uma rapariga, Colin, ex-menino prodígio, talvez génio matemático, talvez não, doido por anagramas, saiu com dezanove Katherines. E todas o deixaram. Então ele decide inventar um teorema que prevê o resultado de qualquer relacionamento amoroso. E evitar, se possível, ter o coração novamente destroçado. Tudo isso no curso de um verão glorioso passado com o seu amigo Hassan a descobrir novos lugares, pessoas estranhas de todas as idades e raparigas especiais que têm a grande vantagem de não se chamarem Katherine.

ASA

Opinião

O meu quarto livro de John Green que me tem vindo a habituar a livros emocionantes, leves e engraçados. Infelizmente foi o primeiro livro que não amei do autor.

Colin que já teve 19 namoradas e todas chamadas Katherine. Maluco ou coincidência? Um pouco das duas! Depois de acabar com décima nona Katherine, Colin fica num estado depressivo no entanto o seu melhor amigo tem a ideia de irem fazer os dois uma viagem pelos Estados Unidos.

Colin não é um rapaz qualquer, tem um QI elevado e por isso desde pequeno que é um prodígio. Tem a grande ideia de inventar o Teorema de Katherine e foi ai que tudo começou a correr mal para mim.

O autor pós demasiada matemática ao longo do livro sem explicar muito acerca dela, nem todos são um génio a matemática! Eu por exemplo sou horrível e mesmo com as explicações do tradutor ficava a apanhar do ar. O livro tornou-se muito chato a partir dai além disso fiquei durante algum tempo com uma ressaca literário porque de números já me chega a contabilidade que tenho na faculdade!

O autor aproveita neste livro para falar de como ser diferente nesta sociedade é horrível. O nosso protagonista por ser um génio tem dificuldades nas suas relações amorosas e a manter amizades pois nunca é compreendido pelas pessoas com um nível de QI normal.

O que me fez gostar deste livro foram as personagens. O Colin apesar de ser muito calado tem um humor fantástico. O Hassan, melhor amigo do Colin, é a estrela deste livro na minha opinião por ser divertido, honesto e acima de tudo um bom amigo!

Pessoalmente amei a forma como o autor foi colocando ao longo dos livros várias frases em várias línguas, sendo assim que foi ensinando ao leitor alguma coisa.

Não é um dos melhores livros do autor mas para quem gosta dele deverá o ler visto poderem analisar a escrita do autor que não desaponta com muitas citações lindíssimas.

 Pontuação

3

Goodreads: 3.77

Até ao próximo capítulo,

Catarina

(Opinião) Os Aromas do Amor de Dorothy Koomson

d

Sinopse

Procuro a combinação perfeita de aromas; o sabor que eras tu. Se o encontrar, sei que voltarás para mim.

Passaram-se 18 meses desde a morte de Joel, o marido de Saffron, e o culpado nunca foi descoberto.

Agora, fazendo os possíveis para lidar com a perda, Saffron decide terminar Os Aromas do Amor, o livro de receitas que Joel tinha começado a escrever antes da sua trágica morte.

Quando, finalmente, tudo parece ter voltado à normalidade, a filha de 14 anos de Saffron faz uma revelação chocante que abala a relação entre ambas. E, ao mesmo tempo, cartas misteriosas lançam uma nova luz sobre a morte de Joel.

Será um grande amor capaz de sobreviver à maior das perdas?

Porto Editora

Opinião

Depois de ter lido dois livros da autora fiquei um pouco desiludida com os mesmos porque queria mais, no entanto, quando comecei a leitura deste as expetativas continuavam altíssimas.

Dos três que já li da autora este é o meu preferido dúvidas!

Na sinopse é revelado que mataram o marido da Saffron que é a nossa personagem principal e eu já me vim a costumar com a presença do mistério nos livros da autora, porem este é um pouco diferente visto nunca encontraram quem foi o responsável pela morte e a família continua a ser constantemente lembrada disso e recebe ameaças todos os dias.

Saffron tem dois filhos e a relação entre eles foi claramente abalada depois da morte do marido. Principalmente a relação com a filha Pheobe que tem vindo a esconder um grande segredo à mãe, tornou então a relação entre as duas muito abalada e foi muito bom ver como a relação evolui porque representa na perfeição as relações de hoje em dia entre pais e filhos.

A autora não põe muito romance nos livros por isso já não estava com esperanças que existisse algum neste livro, visto que Saffron é viúva, no entanto foi bastante interessante vê-la a debater-se de quando é que seria a altura apropriada para começar sair em encontros amorosos depois do marido falecer.

A comida neste livro tem um papel e significado muito grande e não é só pelo marido da Saffron estava a escrever um livro de receitas e foi muito inteligente da parte da autora fazer a ligação entre a comida e os problemas que trás consigo.

Todas as personagens foram muito bem construídas e a Saffron em especial não sei como é que a autora teve coragem para a criar pois é uma mulher forte mas com as suas inseguranças que por vezes são mais fortes.

A escrita da autora é simplesmente deliciosa e tem citações maravilhosas!

Por último, amei a ligação que a autora fez com Portugal desde do início do livro ate ao fim! Afinal de contas Lisboa é a minha cidade e eu gosto de ler sobre ela! Claramente a autora tem um carrinho especial por Portugal.

Recomendo imenso!

Pontuação

5

Goodreads: 3.93

Até ao próximo capítulo,

Catarina

(Opinião) O Outro Amor da Vida Dele de Dorothy Koomson

unnamed

Sinopse

Está a viver o amor com que sempre sonhou?

Libby tem uma vida perfeita com um marido maravilhoso e uma casa enorme em frente à praia. Mas, aos poucos, começa a duvidar do amor de Jack e não acredita que ele tenha realmente superado a morte da primeira mulher, Eve.

Quando o destino interfere na relação de ambos, Libby sente necessidade de conhecer melhor o homem com quem se casou e a aparentemente perfeita Eve.

A jovem esposa descobre algumas verdades assustadoras sobre aquela família. Com receio das consequências, Libby começa a desconfiar que também ela terá o destino da primeira mulher que Jack amou…

Pode um novo amor apagar uma grande paixão?

Porto Editora

Opinião

Finalmente li um livro desta autora, passado tanto tempo a ouvir falar da mesma e de a ter conhecido li o meu primeiro livro dela.

Tinha expetativas muito altas acerca do livro e este por sua vez não me desiludiu.

Quando comecei a ler pensei que seria um romance tipo Nicholas Sparks no entanto não é. Temos romance? Sim claro que sim. No entanto não é o foco da história. Para mim é um livro de mistério.

Tal como podemos ver pela sinopse fala-nos de um casamento aparentemente perfeito, no entanto não é devido a uma ex-mulher que morreu em circunstâncias um pouco estranhas.

Tenho a dizer que antes de ler o livro pensei:

  1. O marido matou a primeira mulher;
  2. Ou a primeira mulher esta viva.

Não vos vou dizer se é isso que acontece, afinal de contas não gosto de dar spoilers, o que vos posso dizer é que a história em si é muito sinistra e dramática do que estava a espera.

Não achei que a escrita da autora fosse fabulosa mas também não foi horrível, sendo o meu primeiro livro dela vou dar o benefício da dúvida.

Já tinha referido que este livro não tem uma história de romance muito predominante por isso não posso culpar a autora quando a mesma deixou esta para terceiro plano. Sendo assim é um romance dramático não o centro da história.

Quando as personagens:

  • Libby e Jack: não criei muita ligação com as personagens. Senti que por vezes a Libby era muito insegura e Jack muito ingénuo.
  • Eve: definitivamente a minha personagem preferida, não a consigo a descrever sem dar spoilers a história, lamento.

Falemos então da parte que não gostei, o final. Foi muito apressado, este livro precisava pelo menos de mais umas 50 páginas.

É um livro muito bom.

Pontuação

4

Goodreads: 4.01

Até ao próximo capítulo,

Catarina

(Opinião) O quarto de Jack de Emma Donoghue

Sem Título

Sinopse

Original, poderoso e soberbo, Jack é inesquecível: a coragem e o imenso amor numa história perturbante contada pela voz da inocência.
Para Jack, de cinco anos, o quarto é o mundo todo. É onde ele e a Mamã comem, dormem, brincam e aprendem. Embora Jack não saiba, o sítio onde ele se sente completamente seguro e protegido, aquele quarto é também a prisão onde a mãe tem sido mantida contra a sua vontade. Contada na divertida e comovente voz de Jack, esta é uma história de um amor imenso que sobrevive a circunstâncias aterradoras, e da ligação umbilical que une mãe e filho.
O quarto é um lugar que nunca vai esquecer; o mundo é um sítio que nunca mais olhará da mesma maneira.

Porto Editora

Opinião

Infelizmente este livro poderia ser baseado na história real, por exemplo, a de Jaycee Dugard. Uma rapariga é raptada e após várias violações sexuais tem um filho do agressor.

A sinopse do livro deixou-me bastante intrigada, quando a li não me apercebi que a história iria ser narrada por um menino de cinco anos o que é chocante e incrível ao mesmo tempo.

No entanto não pensem que vai ser um livro leve pois assuntos como violação e agressões são falados no livro.

Uma das coisas mais bonitas de se ver é a relação entre mãe e filho que a autora criou entre ambos, apesar de a relação ter altos e baixos é bastante forte e o leitor fica sempre com esperança que tudo se resolva.

As personagens realmente foram bem contruídas. Jack o rapaz de cinco anos inocente, inteligente e corajoso. Sendo a Mãe a pessoa adulta é quem aguenta a pressão, uma pessoa carismática e realmente inteligente, esta personagem tem demasiados altos e baixos, visto também ser a única pessoa no quarto que sabe dos verdadeiros perigos.

A parte negativa deste livro é por vezes ser demasiado repetitivo e infantil, no entanto temos que nos lembrar que é uma criança a contar a história.

Recomendo o livro mas não irei reler o mesmo.

Pontuação

4

Goodreads: 3.95

Até ao próximo capítulo,

Catarina

(Opinião) Quarteto de Noivas

bride quartet

Sinopse

“Quando eram crianças, as quatro amigas Mackensie, Emma, Laurel e Parker, passavam horas a imaginar como seria um dia de casamento perfeito. Anos mais tarde, as suas fantasias tornam-se realidade, mas de uma forma que não esperavam: criaram uma empresa de organização de casamentos e realizam os sonhos de outras mulheres.”

Opinião

Esta série é sobre quatro amigas que tem uma empresa que organizava casamentos e cada livro concentra-se na história de cada uma das amigas.

No geral achei que é uma serie muito amorosa! No entanto não esperem muito da mesma senão vão ficar desiludidos porque são apenas histórias com muito romance e drama.

Muitas das situações que vemos nos livros pensamos “a serio? Isto simplesmente não acontece na vida real!” mas para mim não teve qualquer problema porque eu gosto de histórias assim.

As personagens foram muito bem contruídas e cada uma delas tinha uma personalidade bem distinta que por muitas vezes os autores falham nesse parâmetro.

A amizade entre as quatro amigas deixou-me a roer de inveja, não são apenas amigas mas sim família umas das outras e a cumplicidade que estas têm é simplesmente o que qualquer pessoa quer numa amizade.

A escrita da autora, uau, simplesmente maravilhosa! Nora Roberts sabe realmente ser profunda e por isso os livros tem citações lindas! Mas a minha preferida foi: “o porquér e a vida tinham muito em comum. Jogava-se com as cartas que se tinha, calculavam-se as probabilidades e aceitava-se o jogo, ou não. E quando as cartas não prestavam, fazia-se bluff quando o trofeu valia a pena e se se tivesse tomates para isso.”

O livro que gostei mais foi o último, “Felizes para Sempre”, porque teve assuntos como violência doméstica e muito drama! O que gostei menos foi “O Sabor do Momento” apesar deste ser o favorito de muita gente desiludiu-me bastante, realmente não era o que eu estava a espera.

Um Dia Perfeito

5

Um Mar de Rosas

5

O Sabor do Momento

4

Felizes para Sempre

5

Resumindo, esta série é para quem gosta de romances com bastante drama.

Até ao próximo capitulo,

Catarina

(Opinião) “Sob o Céu que Não Existe” de Veronica Rossi

Imagem

Sinopse

O mundo mantinha-os separados, mas o destino reuniu-os. Aria viveu toda a vida no Casulo protegido de Reverie. Este era o seu mundo e nunca pensou sobre o que estaria para lá das fronteiras. Mas, quando a mãe desaparece, Aria vê-se confrontada a sair para o exterior para a procurar, e a sobrevivência no deserto o tempo suficiente para a encontrar parece impossível. Então Aria encontra um estranho chamado Perry. Ele também está à procura de alguém.

Mas é um Externo, um Selvagem, contudo é a única pessoa capaz de a manter viva na travessia do deserto. E se conseguirem sobreviver serão a esperança um do outro para encontrar respostas às perguntas que vão surgindo à medida que se vão conhecendo.

Editorial Planeta

Opinião

Eu pessoalmente gosto de ler um livro sem saber sobre o quê que este fala, ou seja, a única coisa que eu sabia sobre este livro é que era uma distopia.

Basicamente neste munda a população foi dividida em duas, existem as pessoas no Casulo e as pessoas que estão no Exterior, no entanto não sabemos a razão de ter ocorrido esta divisão.

As pessoas que vivem no Casulo são extremamente avançadas, não só tecnologicamente mas também fisicamente, já as pessoas que vivem no Exterior são bastante primitivas, ou seja, não têm qualquer tecnologia, não têm medicamentos e a para não morrerem a fome estes caçam.

Não vos posso explicar mais sobre o mundo se não seria spoiler, no entanto, fiquei com algumas duvidas sobre o mesmo, a autora fala deste mundo como o leitor já soubesse do que se trata que não é o caso, visto que este é o primeiro livro de uma trilogia.

Quanto as personagens achei que estavam bem construídas, no entanto, não consegui sentir qualquer ligação com as mesmas. Gostava que a autora tivesse contado mais sobre a história de Aria, antes dos eventos do livro.

O romance que existente no livro não me convenceu a 100%, estava a espera de mais, porém penso que no segundo livro essa parte será mais aprofundada.

Tenho que dar o benefício da dúvida a este livro, visto ser uma distopia e o primeiro da trilogia, porque é sempre complicado entrarmos logo dentro do mundo criado.

Pontuação

Imagem

Goodreads: 4.06

Até ao próximo capitulo,

Catarina