Wrap Up de março

Olá a todos!

Este mês li nove livros, ou seja, andei muito ocupada durante o mês todo 😀

1. Os Céus de Montada de Nora Roberts: Gostei do livro e já tem um post de opinião.

Imagem

2. O Presente de Britney e Lynne Spears: Não estava a espera de muito do livro visto que quem escreveu tem mais talento para cantar.

Imagem

3. Paga o que deves de Nilton: Não gostei nada deste livro, achei que muitas das piadas eram más.

Imagem

4. Breathe de Abbi Glines: Outro livro que não gostei muito, achei a história muito fraca e pouco credível. Definitivamente não vou continuar com a série.

Imagem

5. Four Years Later de Monica Murphy: O último livro da série One Week Girlfriend Quartet, gostei bastante tal como os outros livros achei que era simples de se ler e extremamente viciante.

Imagem

6. Slow Burn de Nicole Christie: Nunca me senti tão confusa a ler um livro como este. Temos tantos romances a acontecerem ao mesmo tempo que não conseguimos acompanhar os mesmos.

Imagem

7. Juntos ao Luar de Nicholas Sparks: O facto de ter visto o filme deste livro acabou por estragar o fator surpresa. Não gostei nada do final, sou uma daquelas pessoas que gosta de finais “e viverem felizes para sempre”.

Imagem

8. A Criança Que Não Queria Falar de Torey L. Hayden: Gostei do livro mas não amei. Não gostei do facto da autora por o seu nome à personagem principal faz parecer que a mesma quer ser vista como a heroína da história. Também gostava que a mesma tivesse aprofundado o porque de a criança ter feito mal a outra.

Imagem

9. Os Adivinhos de Libba Bray: Este para mim foi o livro do mês e poderão saber mais sobre isso no meu post de opinião.

Imagem

Até ao próximo capitulo,

Catarina

Advertisements

(Opinião) “Os Adivinhos” de Libba Bray

Imagem

Sinopse

Evie O’Neill foi exilada da sua monótona e pacata cidade natal e enviada para as agitadas ruas de Nova Iorque – e fica radiante! Nova Iorque é a cidade dos bares clandestinos, das compras e dos cinemas! Pouco depois, Evie começa a andar com as glamorosas «Ziegfield Girls» e com atraentes carteiristas. O único problema é que Evie tem de viver com o seu tio Will, curador do Museu Americano de Folclore, Superstição e Ocultismo – também conhecido como «O Museu dos Arrepios», homem com uma pouco saudável obsessão pelo oculto. Evie receia que ele descubra o seu segredo mais sombrio: um poder sobrenatural que até ao momento só lhe causou problemas. Porém, quando a polícia encontra uma rapariga morta que tem um estranho símbolo gravado na testa e Will é chamado ao local, Evie percebe que o seu dom pode ajudar a apanhar o assassino em série. Quando Evie mergulha de cabeça numa dança com um assassino, outras histórias se desenrolam na cidade que nunca dorme. Um jovem chamado Memphis é apanhado entre dois mundos. Uma corista chamada Theta anda a fugir do seu passado. Um estudante chamado Jericho esconde um segredo chocante. E sem que ninguém saiba, algo sombrio e maligno despertou.

Edições Asa

Opinião

Para mim este livro têm quatro pontos fortes:

  • A época;
  • O mundo sobrenatural;
  • A religião;
  • E o romance.

Passa-se nos anos 20, durante a lei seca (entre 1920 a 1933 era proibido a fabricação e comercialização de bebidas alcoólicas nos estados unidos) e verificamos durante o livro como a mesma tem um impacto nesta história. Apesar de já ter lido livros acerca dos 20, este realmente conseguiu captar a loucura daquela época.

O mundo sobrenatural é que o predomina ao longo do livro, não temos vampiros nem lobisomens como estamos habituados aos recentes livros públicos pelas editoras. Neste temos fantasmas e pessoas com dons especiais.

Para mim qualquer livro que fale de religião capta a minha atenção imediatamente e este não foi exceção, Libba Bray faz um trabalho espetacular a mostrar como os americanos nos anos 20 eram muito supersticiosos e como alguns eram fanáticos pelas suas religiões, criando problemas as pessoas que não queriam fazer parte da mesma.

Quando comecei a ler consegui imediatamente distinguir quem seriam os dois jovens que se iriam apaixonar, no entanto a autora surpreendeu-me quando cria mais dois romances. No total são três romances porém estes têm triângulos amorosos e todos estão interligados.

As personagens todas elas foram bem construídas e cada uma com as características únicas, apesar da sinopse nos dar a entender que Evie é a personagem principal, eu acho que este livro não tem só uma personagem principal mas sim várias.

No início do mês quando li o livro da Nora Roberts não gostei do facto da história ser contada de várias perspetivas e a história deste livro é contada da mesma forma. Porém a Libba Bray conseguiu que não fosse confuso para os leitores saberem de quem é o ponto de vista, conseguiu assim com que a história não se torna-se por vezes lenta.

O final não respondeu a todas as perguntas que eu queria no entanto este deixa-nos com vontade de ler o seguinte.

Imagem

 

Este livro agarrou-me desde a primeira página e recomendo a toda a gente!

Pontuação

Imagem